quinta-feira, 23 de junho de 2016

Além do feijão: alho e cebola sobem mais de 30%; preço do arroz deve piorar

(Ricardo Marchesan                     Arte UOL
Do UOL, em São Paulo)   
Preparar um dos pratos típicos do almoço brasileiro está mais caro em 2016. O preço do feijão carioca, o mais consumido no país, aumentou 54,1% desde o começo do ano. Só ficou atrás do mamão, que disparou 77,18%.

Quem quiser fugir do preço alto do feijão carioca não vai conseguir grande alívio apelando para outras variedades. O mulatinho aumentou 49,42%, o preto subiu 21,36% e o fradinho, 19,49%.
Mas o feijão não está sozinho na conta da inflação. Companheiros frequentes dele, a farinha de mandioca e a couve ficaram bem mais caras: subiram 36,4% e 20,4%, respectivamente.
Outros dois produtos muito usados para dar tempero aos pratos subiram mais de 30% neste ano. A cebola ficou 32,7% mais cara e o alho, 36,2%.
Ingredientes usados para refogar ou fritar também pesaram no bolso: a manteiga teve alta de 41,9%, o óleo de soja subiu 13,71% e o azeite, 15,51%.
Os números levam em conta o período de janeiro até o meio de junho e fazem parte do IPCA-15, considerado uma prévia da inflação. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na terça-feira (21).  (Leia mais:http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2016/06/23/alem-do-feijao-alho-e-cebola-sobem-mais-de-30-preco-do-arroz-deve-piorar.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial