quinta-feira, 30 de junho de 2016

PF aponta "teia" de empresas de fachada ligadas a avião que caiu com Campos

(Estadão conteúdo e uol)                (Edson Silva/Folhapress)
Em busca dos verdadeiros proprietários do jatinho Cessna Citation, prefixo PR-AFA, que em agosto de 2014 caiu e matou o então candidato à Presidência, Eduardo Campos (PSB), em Santos (SP), os investigadores da Operação Turbulência mapearam uma teia de empresas de fachada utilizadas para lavar e supostamente escoar dinheiro oriundo de obras públicas para campanhas políticas.           Responsável pelo inquérito, a delegada federal Andréa Pinho Albuquerque, da Polícia Federal em Pernambuco, compartilhou informações com a Justiça Federal do Paraná e com o Supremo Tribunal Federal para comprovar a relação dos empresários por trás da compra da aeronave com empreiteiras e políticos investigados na Lava Jato.     Ao solicitar informações ao juiz federal Sergio Moro, responsável pelas ações da Lava Jato na primeira instância, a delegada salienta que o relatório de inteligência elaborado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) revela que "parte dos recursos utilizados na aquisição da referida aeronave tenham sido originados da Construtora OAS, a qual, além de investigada na Operação Lava Jato, participou da execução de alguns lotes das obras de transposição do Rio São Francisco em Pernambuco, Estado cujo governador à época era, justamente, Eduardo Campos". (Leia mais:http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/06/29/pf-aponta-teia-de-empresas-de-fachada-ligadas-a-aviao-que-caiu-com-campos.htm                                                                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário