domingo, 16 de outubro de 2016

Mineiro vestido de palhaço é agredido em Uberaba

POR: (Alessandra Alves)                    

(foto: Reprodução/Facebook)

Onda de palhaços assustadores que começou nos Estados Unidos e chegou ao Brasil pode ter motivado a agressão, segundo a vítima. A onda de palhaços assustadores fez a primeira vítima em Minas Gerais, mas ao contrário do que se poderia imaginar, o atacado foi o próprio palhaço. Thiago Alves Pereira, de 31 anos, conhecido como Palhaço Sorrisão, foi agredido na noite da última sexta-feira com socos e pontapés quando estava a caminho de um trabalho voluntário, em Uberaba. 


Ele contou à reportagem que trabalha como palhaço há mais de dez anos e nunca havia passado por nada parecido. "Estava em um ponto de ônibus que é um tubo (semelhante à cabine do Move, em Belo Horizonte), quando uma viatura da PM chegou e um policial me abordou de forma estranha, pedindo que eu saísse", conta. O palhaço, que é estudante de Direito, se recusou a sair e disse ao policial que se deixasse a cabine teria que pagar outra passagem, o que não faria.

"Nisso, o ônibus chegou e eu entrei. Tinha umas trinta pessoas lá dentro, que ficaram me olhando, com medo", relata. O estudante atribui os olhares à recente onda de palhaços assustadores, que se espalhou recentemente pelo Brasil, mas registrou os primeiros casos nos Estados Unidos. Ele disse que, por isso, preferiu ser cauteloso e procurou um assento solitário, para não incomodar ninguém. Ainda assim, três adultos e uma adolescente começaram a questioná-lo perguntando por que ele estava vestido daquela forma. O artista conta que explicou o trabalho voluntário que faz como palhaço, mas que o grupo não entendeu e começou a discutir com ele de forma agressiva. Ofendido, ele decidiu ligar para a polícia e prestar queixa. Foi quando um dos passageiros que fazia parte do grupo e estava acompanhado da namorada se irritou e tentou lhe dar um soco.  "Eu consegui sair fora do soco, mas acertei ele também. Com a confusão, o motorista freiou e eu caí. O homem não caiu, aí começou a me chutar, meu braço, meu rosto... Algumas pessoas tentaram separar a briga, mas o homem pegou em uma barra de ferro e me deu uma voadora no rosto", relatou o palhaço. O motorista do ônibus pediu para que o grupo descesse e Thiago decidiu ligar mais uma vez para a polícia. Junto com o estudante, os policiais conseguiram localizar o agressor, que prestou depoimento e foi liberado, em seguida.

O artista disse que está juntando provas para processar o autor do crime, no futuro, mas que depois de toda essa confusão, saiu ainda mais forte e decidido a continuar palhaço. "Uns dois dias antes do episódio eu tinha conversado com a mãe do meu filho, dizendo que eu não queria mais fazer trabalho voluntário. Mas esse episódio me fortaleceu, agora eu quero continuar. Isso me motivou ainda mais, me deixou mais forte", afirmou. 

Medo de palhaços


Depois de aparições de palhaços nos Estados Unidos e no Reino Unido, começaram a circular este mês nas redes sociais fotos e vídeos de supostos flagrantes de pessoas fantasiadas em algumas cidades do Brasil. As imagens mostrariam flagrantes nas ruas de São Paulo, além do Rio de Janeiro e de Goiânia. O caso mais grave foi registrado em Sorocaba, quando um homem usando máscara de palhaço sacou uma arma e rendeu uma família que fazia os preparativos para uma festa de casamento, na noite da última terça-feira, 11.

Nos Estados Unidos, o primeiro caso ocorreu em Greenville, na Carolina do Sul, em agosto. Na ocasião, os fantasiados estariam convidando crianças para bosques da cidade culminando até em investigação policial. Desde então, mais de 20 Estados norte-americanos já registraram aparições de palhaços, entre denúncias sérias e brincadeiras.   (FONTE: O ESTADO DE MINAS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário