sábado, 12 de novembro de 2016

Suspeito de canibalismo diz a policiais “Eu comi algo estragado... humanos”

(Yahoo Noticias International)    


O estudante norte-americano de 19 anos acusado de assassinar um casal em sua casa e comer o rosto do homem disse a um policial “Me ajude, eu comi algo estragado” antes de responder que eram “humanos” e cuspir um pedaço de carne humana enquanto estava no hospital, de acordo com relatórios sobre o ocorrido. 

Austin Harrouff 
Austin Harrouff supostamente também gritou “me mate… atire em mim agora, eu mereço morrer” para os policiais que o prenderam no local do incidente na cidade de West Palm Beach, na Flórida.
Harrouff foi indiciado pelo homicídio doloso de John Stevens, de 59 anos, e de sua esposa Michelle Mishcon, de 53, do lado de fora da casa do casal em 15 de agosto, e também por atacar o vizinho Jeff Fisher que veio tentar ajudá-los. Ele é suspeito de ter mordido o rosto e o corpo de Stevens enquanto fazia sons “guturais” semelhantes aos produzidos por animais.
De acordo com documentos do delegado do Condado de Martin obtidos pelo Palm Beach Post, Harrouff disse “Me ajude, eu comi algo estragado,” enquanto estava sendo hospitalizado no Centro Médico St. Mary. Quando um sargento perguntou o que ele havia comido, o jovem de 19 anos respondeu “humanos”.
De acordo com o relatório, um policial chegou à cena do crime e apontou a arma para Harrouff, pedindo que ele parasse de atacar Stevens. Um segundo policial chegou para aplicar um choque elétrico no suspeito, mas mesmo assim ele não soltou a vítima.
Depois disso o delegado descreveu que “chutou Harrouff na cabeça diversas vezes” e ele soltou Stevens brevemente, mas pulou em sua direção novamente e continuou a mastigar o rosto da vítima.
A polícia havia descrito que o suspeito se mostrou “anormalmente forte” enquanto estava sendo preso, e um cão policial foi usado para ajudar a dominá-lo.
O delegado William Snyder disse a WPTV que o que Harrouff disse aos policiais na cena do crime é “tudo que ele nos disse, seja em seus depoimentos oficiais ou fora deles.”
Harrouff passou quase dois meses em um hospital de Palm Beach em sérias condições de saúde após a sua prisão. Os policiais acreditam que ele pode ter ingerido algum tipo de substância química usada na manutenção do gramado encontrada na garagem do casal, que pode ter afetado o seu comportamento.
Exames revelaram que Harrouff não estava sob o efeito de drogas no momento de sua prisão, e o jovem estava comendo com seus familiares menos de uma hora antes do ataque. A família disse que ele saiu correndo do restaurante a cerca de seis quilômetros da casa da vítima após ter uma discussão acalorada com seu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário