sexta-feira, 17 de março de 2017

Filho de Reginaldo Rossi interpretará o pai em filme

Por: Fernanda Guerra - Diário de Pernambuco                                      

                                    Foto: TV Record/Reprodução e Sony/Divulgação
O documentário sobre Reginaldo Rossi começará a ser gravado na próxima semana no Recife. Com pesquisa e roteiro quase definidos, o telefilme contará com a participação do filho do artista, Roberto Rossi, que interpretará o pai no período dos anos 1960. A informação foi confirmada pelo diretor José Eduardo Miglioli, o mesmo de Chico Science: Um caranguejo elétrico. Roberto é formado em artes cênicas pela CAL - Casa de Artes de Laranjeiras, no Rio de Janeiro. A ideia surgiu ainda no início do projeto, durante conversa entre o diretor e Roberto.

Confira os horários dos filmes em cartaz no Divirta-se

"A gente criou uma alegoria narrativa onde o Beto vai se inserir. Quando a gente começou, eu encontrei com ele no Rio de Janeiro e estabelecemos uma ideia bacana. Ele é ator e muito parecido com o pai. Tem um timbre de voz muito igual", adianta, em entrevista ao Viver. As cenas devem suprir a ausência de acervo de imagens do cantor na fase inicial da carreira. A proposta da produção é explorar a relação do artista com o rock e a Jovem Guarda, não muito conhecida pelo grande público. "Tínhamos essa possibilidade de inseri-lo dentro da narrativa. Criamos uma brincadeira muito legal, mas não posso contar. É spoiler", explica.

Com título provisório de Reginaldo Rossi, meu grande amor, o telefilme vai estrear no fim do segundo semestre na Globo Nordeste. As filmagens ocorrerão no Recife, em São Paulo e no Rio de Janeiro. De acordo com o diretor, a lista de entrevistados é abrangente. A ideia é incluir nomes que fizeram parte da trajetória do cantor, como produtores e músicos, a exemplo do violeiro Fernando Filizola, de Quinteto Violado, e pessoas que se influenciaram ou admiravam o trabalho dele, como Ivete Sangalo, Gaby Amarantos, Chimbinha, Xico Sá, Wanderléa, Michael Sullivam e Marcelo D2.

Para Roberto, o lado roqueiro do pai é pouco conhecido para o grande público. "O que ficou mais popular foi a última fase do meu pai. Ele tem muito fã jovem, que não acompanhou o início dele na Jovem Guarda. Acho interessante abordar esse lado", ressalta. Ao autorizar o documentário, o filho fez uma ressalva: "Eu só pedi que fosse o mais verossímil possível. Não inventasse coisas que não aconteceram". 

O roteiro do documentário é assinado pelo DJ Dolores. Em parceria com a Globo Filmes, a R-TV Produções foi responsável pelo documentário sobre Chico Science, exibido pela Globo. A Ancine autorizou a produtora responsável, atráves da Lei do Audiovisual, a captar R$ 652 mil para o filme. Aos 70 anos e quase 50 de carreira, Reginaldo Rossi morreu de falência múltipla dos órgãos em decorrência de câncer no pulmão, em dezembro de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário