quarta-feira, 28 de junho de 2017

Travesti revela que seu programa no “Casos de Família” foi todo combinado; SBT se pronuncia

 FONTE:  TV Foco


                                    Foto – reprodução/SBT
A travesti Thalita Araújo foi uma das integrantes do Casos de Família, do SBT, da última quarta, 21. O tema do dia era: “Nasci mulher em um corpo de homem… e adooooro, seu trouxa!” 

Em vários comentários em seu perfil no Facebook e em um grupo de transgêneros, enviados ao blog de Maurício Stycer, do UOL, Thalita explicou: “Obrigado a todos vocês que me assistiram. O programa é todo combinado. Minha família, meus sobrinhos e a drag me amam. Referente a chamar de ‘ele’, foi tudo combinado. O bom do programa foi a parte da psicóloga informar a sociedade referente a transexualidade. O restante foi tudo um blábláblá sem proveito algum. Espero que tenha contribuído de alguma forma pra sociedade brasileira entender o nosso lado e tirar seus preconceitos e conservadorismo”.

“Mesmo o programa sendo toda uma encenação e em partes ter rebaixado e desmerecido a nossa classe trans, espero ter contribuído de certa forma para a sociedade brasileira sobre a importância do tratamento hormonal com acompanhamento de endocrinologista e da nossa militância também na família e sociedade como um todo. Tirando a encenação de minha cunhada e da minha amiga drag, a psicóloga arrasou em suas palavras em defesa e da militância dos trans”, comentou Thalita.

E finalizou: “O programa foi todo uma encenação. Minha cunhada e minha amiga me amam e me aceitam de coração, sem preconceito algum. Mas, infelizmente, é a realidade de algumas trans. E eu espero ter alertado ao povo brasileiro a ter menos preconceito com nós trans. Queremos apenas ser aceitos pela nossa família e sociedade como pessoas e cidadãos normais na sociedade”.

Vale dizer que Thalita, em momento algum, sugeriu que foi do SBT a iniciativa de armar os casos e inventar as histórias. Procurado, o canal de Silvio Santos se manifestou.

“‘Casos de Família’ tem uma missão social muito clara, por isso todas as histórias são e devem ser reais. Se no processo de seleção das histórias alguma pessoa inventa ou exagera um fato, mas todos os seus documentos de identidade, assim como os elementos que pertencem a essa história batem, dificilmente pode se comprovar que está criando essa história”.

E encerrou, de forma enfática: “A nossa seleção é através de entrevistas, e não com detector de mentiras”.

Afinal, fica a pergunta sobre quem mentiu e inventou tudo: Thalita e seus amigos/parentes ou o SBT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial